Do Cristo

Esse Cristo. Cristo sincero, mas, confuso.
Cristo homem, Cristo divino.
Cristo Deus e Cristo menino.
Cristo Rei de Mateus,
Cristo incompleto de Marcos,
Cristo histórico de Lucas,
Cristo divino de João,
Cristo místico de Paulo.
Cristo louco no Judaísmo,
Cristo profeta no Islamismo,
Cristo Deus no Cristianismo.
Cristo de Direita, do dai a César o que é de César.
Cristo de Esquerda do pão dividido com a multidão.
Cristo dos ricos, dos pobres, dos marginalizados, dos poderosos.
Cristo do Zelote, o bandido. Cristo de Madalena, a possuída.
Cristo, da adúltera, Cristo de Nicodemos, o religioso.
Cristo do Lázaro, o pobre, Cristo do jovem, o rico.
Cristo Fariseu, Cristo Essênio, Cristo Autêntico, Cristo Único.
Cristo fragilizado na cruz, Cristo poderoso na ressurreição.
Cristo vitorioso e fracassado, Cristo humilhado e honrado.
Cristo milagreiro, cujo poder supera o natural.
Cristo mestre, que ensina lições que desvelam o sobrenatural.
Cristo salvador, Cristo Senhor, Cristo servo, Cristo amigo.
Não o entendo o suficiente para o explicar.
Mas creio nEle o suficiente para me entregar.
Cristo menino e Cristo Deus.
Cristo divino, Cristo homem
Cristo confuso, mas sincero. Esse Cristo.
Meu Cristo.

O Som dos Remidos

Já se ouve um som

Um som diferente

Mais belo que o dos anjos

Mais intenso que o de vitória

Som de amor

Som de adoração

Som que alcança os céus

Que toca o coração do Eterno

E a Presença se manifesta

A Presença do Deus-Poderoso

A Presença do Deus-Poderoso

Enche a casa e enche nossa vida

Enche a casa e enche nossa vida

Uma velha instrução, uma nova leitura?

Exército Israelense

A imagem acima nos apresenta algumas lições sobre o Antigo Testamento e as diferentes leituras possibilitará pelo texto bíblico. Ela é um reflexo da realidade conhecida por chave hermeneutica ou do que alguns tem compreendido como o significado do leitor.

Recebo periodicamente esse boletim com informações sobre a palestina. É um boletim interessante, pois, sempre relaciona acontecimentos modernos em Israel com textos bíblicos da Bíblia Hebraica.

É interessante imaginar que ainda que a Bíblia Hebraica seja um livro tão antigo que possibilite uma leitura sobre uma situação tão contemporânea. Isso é o que impressiona na Bíblia. Ela nos insere em um mundo de inúmeras relações possíveis e contextualizacoes de passagens que se relacionam e muito com situações diversas do nosso cotidiano. Isso é sem dúvida maravilhoso!

Contudo, acrescenta-se um perigo. Uma leitura que desconsidere o contexto em que se escreve é uma leitura que não é a intencional. Ela não está presente no livro, e, portanto, ignora o valor intriseco do livro. Uma leitura particular, independente é por natureza, subjetiva, cheias de pressupostos particulares em muitos aspectos. Compreender que minha leitura da Bíblia possui mais valor do que a leitura causada intencionalmente pelo autor, é desvalorizar o significado pretendido do livro.

A Bíblia possui um significado intriseco, e é deste significado que deveriam se originar nossas leituras. Nossas leituras devem ser realizadas dentro do mundo de quem ouviu a voz proféfica, recebeu a lei, de quem ouvia a voz do Mestre, de quem recebeu as epístolas. Assim, o significado que dela surge, não será um infudado e subjetivo significado, mas, um firme e objetivo significado. Coerente com o autor, coerente com quem ouviu/leu.

Confesso que para mim particularmente ainda é muito estranha essa idéia da valorização do significado do leitor em detrimento do significado do autor. Isso desvaloriza a pretenção do autor e a historicidade do texto. Deixa de lado o valor intriseco do texto em troca do valor extrinseco ao sobre o texto.

Ler a Bíblia para mim é entrar no seu mundo compreender sua aplicação original e assim reaplica-la em nossas histórias, cultura e experiências. É deixar a Bíblia falar atrravés de sua leitura, muito mais do que determinar sua fala através de minha leitura.

A Igreja, Albert Mohler

A igreja não é um lugar no qual pecadores são bem-vindos para permanecer em seus pecados. Ao contrário, é o Corpo de Cristo, composto de pecadores transformados pela graça. (Albert Mohler)

Fonte: iProdigo